Líderes cristãos discutem identidade cristã e unidade em Recife

Cerca de 20 lideranças cristãs evangélicas estiveram reunidas no escritório nacional da Visão Mundial para conversar sobre a identidade da igreja no Brasil

“Uma das tarefas que temos no contexto evangélico brasileiro atual é exatamente de fazer um trabalho de afirmação sobre qual é a identidade evangélica a luz do Evangelho de Jesus Cristo. Em face de tantas expressões evangélicas tão diversas – e até algumas complicadas – a gente precisa que fazer um recorte que defina o que é evangélico e o que não é do Evangelho”, afirmou o diretor executivo da Aliança Cristã Evangélica Brasileira, Wilson Costa, sobre esta instituição.

Cerca de 20 lideranças cristãs evangélicas estiveram reunidas no escritório nacional da Visão Mundial para conhecer o trabalho da Aliança e conversar sobre a identidade da igreja cristã evangélica no Brasil e seu agir no mundo em comunhão e cooperação umas com as outras. O momento de ontem serviu também para uma reflexão sobre o papel da igreja na sociedade. Segundo Wilson Costa, a Aliança representa atualmente 50 organizações, 10 denominações e 70 pessoas físicas filiadas a ela, sendo a maioria da região Sudeste.

Também presente na reunião, o diretor nacional da Visão Mundial Brasil, João Helder Diniz, falou sobre a relação entre a organização e a Aliança. “A aliança busca proclamar o que é a Missão Integral da Igreja. Um dos grandes desafios é contribuir para que as igrejas sejam mais sensíveis e comprometidas com a superação das causas da pobreza, das injustiças, e essa é a bandeira da Visão Mundial, por um mundo que não tolera a pobreza. Então, apoiar a Aliança é fortalecer o movimento de organizações e igrejas que trabalham para isso, principalmente para a superação da pobreza infantil”.

Para Wilson Costa, não é possível desvincular a missão da igreja com o serviço ao próximo e à comunidade. “O Evangelho de Cristo nos chama para servir o outro, assim como o próprio Jesus disse que não veio para ser servido, mas para servir. Nós não podemos querer ser evangélicos diferente do próprio exemplo que Jesus deu”.

CafeEncontro contou com a presença do diretor nacional da Visão Mundial Brasil, João Helder Diniz (à esquerda)